“No céu se encontra a felicidade divina”, adverte Pe. Paulo Ricardo

Na missa de abertura do Congresso Estadual Jovem, Pe. Paulo Ricardo, da Arquidiocese de Cuiabá (Mato Grosso) advertiu os jovens, em sua homilia, sobre a necessidade de buscar a felicidade divina e não, a terrena. O evento é realizado no Clube Recreativo União Campestre, situado no Jardim Guadalajara, em Sorocaba (SP). Organizado pelo Ministério Jovem Estadual, o retiro tem como tema “Juventude Sentinela da Manhã espalhando a chama”. Concelebraram a celebração eucarística o Pe. Lorival de Oliveira Pedro da Diocese de Itapetininga e o Pe. Hélder Pio, SJS, da Diocese de Santo Amaro.

Aberta ao público, a celebração contou com aproximadamente mil pessoas, conforme estimativa do Corpo de Bombeiros.

Para o sacerdote, felicidade e santidade são estados distintos. “Não buscamos a santidade, procuramos a felicidade. A felicidade de ter tudo o que queremos. E aí está o problema! Nosso projeto de santidade é tirar todos os obstáculos do caminho para ver, aqui na Terra, um pouco da profundidade da minha alma, da sede que minha alma tem de Deus. Mas você e eu ainda não somos santos”, exorta.

E continua afirmando que, “homem ou mulher algum saciarão esta sede que você tem de Deus. Adão e Eva perderam o paraíso – pra nós seria o equivalente à felicidade na Terra – , mas em Seu infinito amor, Deus resolveu sofrer a infelicidade do homem na cruz para trazer-nos a felicidade divina, ou seja, a felicidade do Pai, do Filho  e do Espírito Santo, sem mancha, sem defeitos e sem limites, a felicidade do céu”.

De acordo com o padre, “devido aos nossos pecados não conseguir enxergar (compreender) a profundidade da grandeza da nossa alma e a insaciabilidade de nosso ser. O universo inteiro não saciaria a sede da sua alma. A única fonte capaz de saciá-la é Deus! Por isso, pecamos porque buscamos a felicidade do dinheiro, do sexo, do prazer, das drogas, dentre outras situações, querendo satisfazer-se aqui [na Terra]. Mas nós fomos feitos para o Céu”.

Ser Santo

Diante das realidades do céu e do inferno, Pe. Paulo Ricardo enfatizou a necessidade de “matarmos o homem/mulher velho(a) que há dentro de nós”. Ele explica que não vemos a “sede de nossa alma” porque há um monte de entulhos atrapalhando a visão. De acordo com ele, “a RCC desde 1967 oferece ao mundo um faixo de luz para que você enxergue-a. Essa luz chama-se Batismo no Espírito Santo!”.

‘A receita para ser santo’, segundo o padre, é buscar o Deus dos milagres e fazer dEle seu Senhor. “No dia que você recebeu o batismo no Espírito Santo você descobriu quem você é, a sede de Deus. A experiência carismática não está ligada a santidade da pessoa, no sentido de que ela não é instantaneamente santificada no batismo no Espírito, mas a partir deste batismo você trilhará o caminho da Felicidade do Céu”, conclui.


Texto e Foto: Assessoria Estadual do Ministério Jovem

%d bloggers like this: