Ter uma prima irmã é desses presentes de Deus que a gente não sabe como agradecer

Quantas vezes você me acolheu mesmo estando uma tempestade em seu coração? Quantas vezes você guardou a sua dor no bolso para cuidar da minha?

Ter uma prima irmã é desses presentes de Deus que a gente não sabe como agradecer

É tão bom quando a vida nos presenteia com essas bonitezas que a gente faz questão de cuidar e agradecer sempre. Ter uma prima que mais se parece com uma irmã é dessas proezas, é  aquela que escuta o teu choro baixinho para ninguém ouvir enquanto você está deitada em seu colo enquanto ela ali tentando te acalmar com suas palavras duras e as vezes doce.

Quantas vezes você me acolheu mesmo estando uma tempestade em seu coração? Quantas vezes você guardou a sua dor no bolso para cuidar da minha?

Ter uma prima irmã é daquelas virtudes que desfrutamos com gratidão. É aquela sorte que a gente sabe, não surge duas vezes.

Os almoços em família ficaram menos tediosos e eu sempre me animava ao saber que você estaria lá, rindo comigo das perguntas clichês e das piadas mais sem graças que o “é pra ver ou pra comer?”…

Com você tirar uva passas do arroz no natal era divertido. Responder as perguntas sobre quando iremos namorar ou quando será o casamento tornava-se engraçado e a gente ria de tudo isso. As férias não precisavam de viagens para ser fantásticas, bastava a companhia uma da outra regado de muito sorvete e um filme de romance desses que a gente desidrata de tanto chorar.

Com você brigar era tão fácil quanto pedir desculpas, porque a saudade sempre fazia morada levando embora todo e qualquer orgulho.

Ter uma prima irmã é desses presentes de Deus que a gente não sabe como agradecer. Você é riso, é calmaria e tem um coração cheio de bondade e eu admiro mesmo essa sua mania bonita de pensar em ajudar os outros, sempre.

Essa tua mania de olhar ao redor e se importar com as necessidades alheias, de não desmoronar mesmo quando tudo é vendaval. Eu admiro a sua coragem em seguir em frente mesmo com tantos espinhos e de não ter medo das tempestades.

Que sorte a minha ter você para me ouvir, que sorte a minha ter você para alegrar as festas de final de ano e mesmo que distante, às vezes, nunca esquecemos de mandar aquela mensagem de feliz ano novo cheia de coisas bonitas que a gente deseja uma para a outra.

Como é prazeroso ter alguém torcendo pela gente, vibrando com as nossas conquistas e fazendo parte da nossa vida. Alguém que ora e cuida de nós em oração. Eu sou grata pela sua vida e por tanto amor recebido.

Dizem que família a gente não escolhe, mas se eu pudesse escolher, ainda continuaria optando em ter você como parte da minha família. Porque você é aquela parcela que soma, que colore e que acalma. É aquela parte que ajuda e acolhe.

Ter uma prima irmã é dessas bênçãos que a vida nos dá e a gente cuida com todo amor e respeito do mundo, torcendo para que esse alguém seja feliz. Cuidando para que ninguém machuque um coração tão sincero. É aquela alma bonita que a gente quer mostrar para o mundo.

Ter uma prima irmã é dessas proezas da vida que permite você ligar a qualquer momento, gastar horas no telefone e quando desligar lembrar que ainda faltou falar daquele tal assunto. É poder ir à casa uma da outra sem ter que dar explicações e aparecer de surpresa só pra dar um abraço. Distancia alguma anula o carinho, tempo nenhum apaga o amor, porque ter uma prima irmã é dessas belezas da vida que a gente gostaria de guardar num potinho para não se perder nunca.

(via Logo Eu)

(via Logo Eu)