10 belos nomes bíblicos para dar às meninas

Sokolova Maryna

Aos pais e mães que fazem questão de um nome ligado à fé para seus filhos

A escolha de um nome para o filho leva em consideração muitos critérios de preferência. Sonoridade, homenagem a alguém da família, significado e – por que não? – fé. Muitos cristãos fazem questão de dar aos seus filhos um nome que se encontre em seu livro sagrado, a Bíblia. Para ajudar esses pais, preparamos uma lista com sugestões e informações de nomes bíblicos para meninas.

Maria: a origem do nome é incerta, mas provavelmente vem do hebraico Myriam e que significa “senhora soberana” ou “a pura”. Maria foi a escolhida de Deus para gerar a seus filhos, Jesus.  Em todo o tempo, apesar da surpresa, foi obediente ao que Deus lhe prometera, da mesma maneira que seu noivo José. Sabiam que o que tinha acontecido a ela era algo divino. Seu nome é citado nos quatro evangelhos e nos Atos dos Apóstolos.

Isabel: entre os significados do nome estão “consagrada de Deus” e “Deus é meu juramento”. Isabel era casada com o sacerdote Zacarias e eram conhecidos por serem muito justos.  Ela foi a mãe de João Batista, cuja concepção é considerada um milagre já que Isabel era idosa e estéril. Isabel e Maria eram parentes e encontramos sua história no livro de Lucas.

Ana: a história da Ana mais famosa da Bíblia pode ser encontrada no livro de Samuel. O significado de seu nome é “cheia da graça” ou “graciosa”. Ana era uma das esposas de Elcana e era estéril. A outra esposa, Penina, dava filhos ao marido, o que deixava Ana entristecida. Apesar disso, ela se mantinha em oração, sempre com fé em Deus. A situação se explica por que, na época, era comum que o marido que tivesse uma esposa estéril, se casasse novamente para manter sua descendência. Em sua oração pedindo um filho, ela diz a Deus que se fosse agraciada, todos os dias dessa criança seriam dele. E assim foi. Ela deu à luz a Samuel.

Ester: significa estrela. Na bíblia, Ester foi escolhida para ser esposa de Xérxes, quando ele pediu que lhe trouxessem todas as mulheres mais bonitas do reino, para que escolhesse  sua nova rainha. Foi por meio da intervenção dela, que era judia, que o povo judeu foi livrado da morte, quando um príncipe de sua época decretou a morte de todos. Sua obediência a Deus e sua confiança nele, fizeram com que ela fosse usada para livrar se povo. A história é contada no livro que leva seu nome.

Eva: “cheia de vida” ou “a que vive”. É a primeira mulher da humanidade e sua história é conhecida no livro de Gênesis. Ela e Adão viviam no Jardim do Éden até que foram enganados pela serpente que lhes fez comer o fruto proibido. Apesar de ter uma história negativa relacionado ao nome, seu significado é grandioso.

Débora: encontram-se dois significados diferentes para o nome. Um deles é “mulher esforçada e trabalhadora” o outro é “abelha”. Débora, no antigo testamente da Bíblia, foi uma juíza que reorganizou o povo de Israel na luta contra o rei de Canaã. Débora também foi profetisa e muito sábia, sendo conselheira do povo. Sua história pode ser conhecida no livro de Juízes.

Rebeca: “Aquela que une”. Esposa de Isac, ela foi mãe de Esaú e Jacó. A escolha de Rebeca para se casar com Isaac aconteceu quando Abraão (pai de Isaac) enviou um servo até sua terra natal, para que achasse entre seus parentes uma esposa para seu filho.  O servo clama a Deus um sinal e as ações de Rebeca correspondem exatamente àquilo que ele havia pedido a Deus: que uma mulher oferecesse água a ele mesmo e aos seus camelos. A história de Rebeca e conhecida a partir do capítulo 24 do livro de Gênesis.

Sara: “Princesa”. Na Bíblia, Sara era chamada Sarai, até ter seu nome mudado por ordem de Deus. Era casada com Abrão, que também teve seu nome alterado para Abraão. Ela foi estéril até os 99 anos, quando, agraciada por Deus, concebeu Isaac. Lá em Gênesis, por volta do capítulo 12, é possível saber mais sobre ela.

Talita: “Menina”. O nome não é de uma personagem em si, a palavra tem grande significado ao aparecer no livro de Marcos, no capítulo 5, quando Jesus diz a uma menina que já está morta, para que ressuscite. “E, tomando a mão da menina, disse-lhe: Talita cumi; que, traduzido, é: Menina, levanta-te”.

Raquel: significa “mulher mansa”, “ovelha” ou “pacífica”. Raquel foi esposa de Jacó, que teve 12 filhos que deram a origem às 12 tribos de Israel. Para se casar com Raquel, de quem gostou desde o momento em que conheceu, Jacó teve de trabalhar sete anos. Quando esses anos se findaram, ele soube que teria que se casar antes com Lia, a irmã mais velha. Ele aceitou, mas ainda assim continuou trabalhando outros sete anos para casar-se com Raquel. Ela teve dois filhos de Jacó, mas morreu no nascimento do segundo, Benjamim.

(via Sempre Família)

Anúncios