Mãe, dom de Deus!

alt

Maio, mês popularmente dedicado à Virgem Maria e também às mães. Há um indissociável vínculo entre Maria, a Mãe de Jesus, e as mulheres mães, cujos filhos, gerados em seus ventres foram primeiramente gerados no coração de Deus, que os fez à Sua imagem e semelhança.

Gerar filhos, graça que Deus deu à mulher, fazendo-a   partícipe na criação, que se renova a cada criança que vem à luz da vida. Deus é o criador e a mulher, com a imprescindível participação do homem, a geradora de  vida. O sim da mulher à vida faz ecoar por toda a história humana o  sim de Maria de Nazaré, que possibilitou dar carne, rosto e identidade humana à Pessoa Divina do Filho. Maria é como um espelho, onde cada mãe vê refletida a própria imagem, tanto a mãe que tem a possibilidade de gerar em seu ventre, quanto a mãe que gera em seu coração. Pela força do Espírito Santo Jesus foi gerado em seu ventre e pela força da entrega e palavra de seu Divino Filho na cruz, toda a humanidade foi gerada em seu coração. Tanto  as mães naturais, quanto as adotivas refletem a mulher  da estrebaria em Belém e a mesma mulher aos pés da cruz no Calvário, em Jerusalém.

Ser mãe é uma vocação presente na natureza feminina, a mulher ao dar a sua resposta a este chamado encontra em Deus o amparo para viver as situações do cotidiano, a força para superar as dificuldades e a sabedoria para educar seus filhos. O amor de mãe aproxima-se enormemente do amor de Deus por nós. A mãe não impõe ao filho condições para amá-lo, ela o ama incondicionalmente.  A mãe ama com gratuidade, doa-se por inteiro sem exigir nada em troca. Ela doa os seus dias, as suas noites, a sua vitalidade, as suas entranhas carnais e também afetivas.  Por até 9 meses ela oferece o seu próprio corpo como abrigo, para que o filho seja gerado e formado e após o nascimento retira deste abrigo o alimento salutar para que a criança cresça em estatura. Ela ocupa-se também como o crescimento do filho na graça de Deus, sendo a sua formadora e educadora. O amor de mãe é capaz das renúncias mais exigentes, do enfrentamento de desafios extremos, da superação de limites inimagináveis para ver o filho amparado, livre, formado e feliz.

 Que neste tempo de graça  dos 300 anos da aparição da imagem de Nossa Senhora nas águas do Rio Paraíba, dos 100 anos da sua aparição aos pastores de Fátima, todas as Mães sejam abrigadas no manto protetor da Virgem Maria.

Mães, Feliz Maternidade, neste maio mariano e em todos os dias de suas preciosas vidas!

Maria Ivone Ferreira Ranieri

G.O. Nossa Senhora da Paz – Decanato Ibiporã, Arquidiocese de Londrina,  Paraná

Presidente RCC Paraná

Anúncios