Papa: encontro com missionários/as da Consolata

05/06/2017 15:23

Cidade do Vaticano (RV)- O Papa Francisco recebeu hoje, dia 5 de Junho de 2017, às 12 horas locais de Roma, em audiência na Sala Clementina do Vaticano, os cerca de 120 participantes do Capítulo Geral dos Missionários e Missionárias da Consolata.

Caros missionários e caras missionárias da Consolata! Estou feliz por receber-vos, por ocasião dos vossos respectivos capítulos gerais. Saúdo a todos com afecto e faço votos para que os vossos trabalhos capitulares se desenvolvam com serenidade e docilidade ao Espírito. Estendo a minha afectuosa saudação aos irmãos e irmãs das vossas congregações que operam muitas vezes em condições difíceis, nos diversos continentes e encorajo-os a prosseguir com generosa fidelidade no seu empenho de missão ad gentes.

Após estas palavras de saudação iniciais, Francisco prosseguiu o seu discurso, propondo aos presentes, algumas sugestões e conselhos por forma a permitir para que estes dias do Capítulo Geral, possam produzir, disse, frutos abundantes de bem para as respectivas comunidades e para a actividade missionária da Igreja em geral.

Vós sois chamados, recordou o Papa, a aprofundar o vosso carisma, para projectar-vos com renovado entusiasmo na obra da evangelização, na perspectiva das urgências pastorais  das novas pobrezas. Neste sentido, acrescentou o Santo Padre, quero exortar-vos a actuar um atento discernimento sobre a situação dos povos no seio dos quais desenvolveis a vossa acção evangelizadora.

Antes de mais, disse o Pontífice, não vos canseis nunca de levar conforto para as populações que estão quase sempre provadas pela grande pobreza e pelo sofrimento agudo, como acontece por exemplo em tantas partes da África e da América Latina. Deixai-vos continuamente provocar pelas realidades concretas com as quais entrais em contacto e procurais oferecer adequadamente, o testemunho da caridade que o Espírito infunde nos vossos corações.

A história dos vossos institutos, feita,  – como acontece em cada família – de alegrias e de dores, de luz e de sombras, foi marcada e permanece também marcada nestes últimos anos, pela Cruz de Cristo. Come não recordar aqui, os vossos irmãos e irmãs das vossas congregações que amaram o Evangelho da caridade mais do que a si próprios e coroaram o serviço missionário com o sacrifício da própria vida? Que a sua opção evangélica sem reservas, ilumine o vosso empenho missionário e seja de encorajamento para todos para prosseguir com renovada generosidade na vossa peculiar missão na Igreja.

Para levar avante esta missão não fácil, advertiu o Santo Padre, ocorre viver em comunhão com Deus e ter cada vez mais a percepção da sua misericórdia. De facto, é muito mais importante, salientou o Papa, darmo-nos conta de quanto somos amados por Deus do que quanto nós mesmos O amamos. Faz-nos bem recordar antes de mais, esta prioridade do amor de Deus gratuito e misericordioso e sentir o empenho e o nosso esforço como uma resposta à este amor misericordioso de Deus, disse.

Nesta perspectiva, acrescentou Francisco, a vida religiosa pode tornar-se um itinerário de redescoberta progressiva da misericórdia divina, facilitando a imitação das virtudes de Cristo e das suas atitudes ricas de humanidade, para depois dar testemunho perante todos aqueles de quem vos aproximais no vosso empenho pastoral.

Francisco advertiu aos presentes para que saibam também acolher com alegria e abertura de espírito os novos estímulos ao renovamento e ao empenho que provêm do contacto real com o Senhor Jesus presente e operante na missão através do Espírito Santo. Neste sentido, o Papa convidou aos presentes a seguir o exemplo do seu beato Fundador, não se deixando nunca levar pelo cansaço e procurar sempre imprimir um novo impulso à animação missionária, procurando dar particular atenção sobretudo ao diálogo com o Islão, o empenho para a promoção da dignidade  da mulher e dos valores da família, a sensibilidade para com os temas da justiça e da paz.

Caros irmãos e irmãs, continuai o vosso caminho com esperança. Que a vossa consagração missionária possa ser sempre mais fonte de encontro vivificante e santificante  com Jesus  e com o seu amor, fonte de consolação, paz e salvação para todos os homens. Faço votos para que as orientações elaboradas pelos respectivos Capítulos Gerais possam guiar os vossos institutos a prosseguir com generosidade no caminho traçado pelo Fundador  e seguido com heróica coragem por tantos irmãos e irmãs das vossas congregações. Invoco a celeste protecção de Maria, Raínha das Missões e o Beato Giuseppe Allamano, e de todo o coração dou à todos vós, a Bênção Apostólica, estendendo-a para a inteira Família da Consolata.

Anúncios