Entrem mais fundo nessa água, para que eu possa usá-los e trazer vida para este mundo sedento”

alt

“É hora de parar e refletir”. Com a orientação do papa Francisco, feita por ocasião da Festa do Jubileu de Ouro, em Roma, a ex-presidente do Conselho Internacional da Renovação Carismática Católica (ICCRS), Michelle Moran, introduziu sua pregação.

No entanto, ela explicou que o “parar” não significa ficar estático, mas é uma forma de promover a renovação das forças, para que o povo carismático siga a caminhada segundo a visão do Espírito Santo.

Sendo assim, a pregadora pediu que os irmãos carismáticos sigam em frente. Baseando-se em Provérbios 29, versículo 18, justificou que um povo sem visão se prende às velhas formas de agir, se tornando teimoso, resistente, medroso e, portanto, com dificuldades em crescer. Por isso, advertiu “cuidado para não institucionalizar a Renovação Carismática”. Referindo-se ao Jubileu de Ouro, disse que depois de 50 anos, é perigoso achar ‘saber de todas as coisas’.

“Vamos continuar sendo um povo corajoso. Um povo com futuro, com destino. Vamos confiar no Espírito Santo, vamos ficar atentos e realmente escutar a voz do Espírito Santo. Se fizermos isso, o Espírito vai nos levar adiante e talvez fiquemos surpresos para onde ele vai nos levar”.

Michelle, ainda, partilhou dois momentos ocorridos no ano passado, durante um final de semana em Roma, em um retiro entre lideranças carismáticas do mundo todo. Na primeira experiência, durante um louvor, o Senhor falou por meio do Salmo 23, versículo 7. “Levantai, ó portas, as vossas cabeças; levantai-vos, ó entradas eternas, e entrará o Rei da Glória”.

A pregadora contou que Deus revelou que aquelas palavras (direções) se referiam ao ano do Jubileu. Ela dizia ‘expandam-se, alarguem-se, pensem de maneira nova… Portões podem ser usados para nos protegerem. Portões podem ser usados como entrada. Portas podem trancar um lugar. Mas as portas também podem se abrir para novas oportunidades”.

A segunda vivência foi uma confirmação do que foi ouvido. Um dos líderes, durante uma oração, viu as portas antes trancadas, de fato, abrirem diante de seus olhos. “Eu acredito que nós estamos vivendo um tempo no qual coisas que estavam fechadas irão se abrir. E onde existe uma abertura que nos foi dado pelo Espírito Santo, nós temos que caminhar por essa abertura. Então se o Senhor abrir uma porta diante de você, se o Senhor criar uma abertura no Espírito Santo, não perca a oportunidade de ir em frente. Não perca tempo!”.

“Nós temos que nos permitir sermos levados a aguas mais profundas. Isso é ser maduro no Espirito Santo”

Michelle Moran, ainda, falou sobre uma segunda profecia. Essa foi proclamada em fevereiro de 2017, durante outro retiro de líderes, em Pittsburgh (EUA), na Casa de Retiros a Arca e a Pomba, lugar onde aconteceu o retiro de Duquesne. Deus, mais uma vez, falou aos que estavam presentes. Segundo a pregadora, a primeira palavra era relacionada à água, bem como no final de semana de 1967, considerado o marco inicial da Renovação Carismática. À época, o retiro quase não aconteceu por falta d’água.

Naquele mesmo fim de semana de fevereiro, partilhou a pregadora, Deus  deu a imagem do Salmo 42, versículo 7, passagem que fala sobre águas profundas e poderosas. “O Senhor estava nos convidando, 50 anos depois do início da Renovação Carismática, a nos aprofundarmos um pouco mais”.

Depois, o Senhor falou por meio Gênesis 7, 11-12. “O Senhor está nos lembrando nesse ano de Jubileu da importância da água purificadora do Espírito Santo. O Senhor está dizendo ‘purifiquem seus corações, purifiquem suas mentes. Lavem-se, preparem-se para este novo derramamento da água da vida. Preparem-se para essa água profunda’”, disse Michelle.

A ex-presidente exortou que todos os irmãos devem se entregar a essa água e deixar que Deus tome o controle das situações, porque “o Espírito Santo­, a água da vida, está se movendo, trazendo cura, saúde e vida para todas as nações. O Senhor diz a vocês, povo do Espírito: ‘entrem mais fundo nessa água que cura, para que eu possa usá-los para trazer cura, saúde e vida para este mundo sedento”.

Ao encerrar, Michelle Moran motivou a família carismática a clamar pela água viva do Santo Espírito e partilhou mais um pedido do Senhor ao Movimento: “Eu digo a vocês: os campos estão prontos para a colheita. Mas eu preciso de obediência, eu preciso de docilidade, eu preciso da fé de vocês”.

Anúncios