Diário d Santa Faustina, 216

Hoje chegamos a Cracóvia [18-04-1933]. Que alegria por me encontrar novamente no lugar em que aprendi a dar os primeiros passos na vida espiritual. A querida madre mestra é sempre a mesma – alegre e cheia de amor ao próximo. Entrei por um momento na capela e a alegria inundou a minha alma. Lembrei-me, num instante, do mar de graças que aqui recebi como noviça.”

A imagem pode conter: 1 pessoa, área interna
Anúncios