Oração a Nossa Senhora da Saúde

Nossa Senhora da Saúde

Oração a Nossa Senhora da Saúde

Intercede, Mãe querida, para que o teu Filho cure as nossas enfermidades

Ó Mãe de misericórdia,
Senhora da saúde,
que, servindo a tua prima Isabel
em suas necessidades
e permanecendo firme ao pé da cruz
do teu Filho agonizante,
manifestaste na bodas de Caná
a tua grande sensibilidade
para conosco,
ouve a voz e o clamor
de todos os teus filhos enfermos
que recorrem a ti
com a certeza de encontrar
uma Mãe que os acolhe
e os assiste com ternura.

Intercede, Mãe querida,
para que o teu Filho
cure as nossas enfermidades,
transforme as nossas lágrimas
em oração
e os nossos sofrimentos
em momentos de crescimento,
converta a nossa solidão
em contemplação
e a nossa espera em esperança,
nos fortaleça na hora da agonia
e transforme a nossa morte
em ressurreição.
Amém.

Pai Nosso;
Ave Maria;
Glória.

Saúde dos enfermos, rogai por nós!

Oração de Nossa Senhora de Lourdes

Reprodução

Peça aquela graça especial à Protetora dos Enfermos

Ó Virgem puríssima, Nossa Senhora de Lourdes,
que vos dignastes aparecer a Bernadete,
no lugar solitário de uma gruta,
para nos lembrar que é no sossego e recolhimento
que Deus nos fala e nós falamos com Ele,
ajudai-nos a encontrar o sossego
e a paz da alma que nos ajude a conservar-nos
sempre unidos em Deus.
Nossa Senhora da gruta,
dai-me a graça que vos peço
e tanto preciso:

(pedir a graça)

Nossa Senhora de Lourdes,
rogai por nós.
Amem!

* * *

No Angelus de 11 de fevereiro de 2018, Dia Mundial do Doente, o Papa Francisco recordou a memória da Virgem Maria de Lourdes.

Ele disse:

O Papa também explicou que nenhuma enfermidade é causa de impureza: a doença certamente abrange a pessoa inteira, mas de modo algum atinge ou impede a sua relação com Deus.

Aliás, uma pessoa doente pode estar ainda mais unida a Deus. Ao contrário, é o pecado que nos torna impuros!

O egoísmo, a soberba, o entrar no mundo da corrupção, são estas as enfermidades do coração das quais é preciso ser purificado, dirigindo-se a Jesus como o leproso: «Se quiseres, podes purificar-me!».

O Papa pediu para cada um fazer um momento de silêncio e “pensar no seu coração, olhar para dentro de si mesmo e ver as suas impurezas, os seus pecados”.

E cada um de nós, em silêncio, mas com a voz do coração, diga a Jesus: “Se quiseres, podes purificar-me!”. Façamo-lo todos, em silêncio.

“Se quiseres, podes purificar-me!”.

“Se quiseres, podes purificar-me!”.

“E cada vez que nos aproximamos do sacramento da Reconciliação com o coração arrependido, o Senhor repete-nos também a nós: «Eu quero, sê curado!». Quanta alegria há nisto! Assim a lepra do pecado desaparece, voltamos a viver com júbilo a nossa relação filial com Deus e somos readmitidos plenamente na comunidade”, disse ainda o Papa.

Por intercessão da Virgem Maria, nossa Mãe Imaculada – prosseguiu o Papa Francisco –, “peçamos ao Senhor, o qual trouxe a saúde aos doentes, que cure também as nossas feridas interiores com a sua misericórdia infinita, para nos restituir deste modo a esperança e a paz do coração”.

Que tal vivermos uma “pandemia mariana”?

Por que não transmitirmos o nosso amor por Maria e contagiarmos a todos com essa devoção?

Continuar a ler

Hoje celebramos a memória de Maria, Mãe da Igreja

WEB2-MARIE-APOTRES-PENTECOTE-GODONG-6fr535579a.jpg

Pascal Deloche I Godong
Marie et les apôtres lors de la Pentecôte. Vitrail de l’église Sainte-Clotilde, à Paris.

O Papa Francisco a estabeleceu em 2018 para a segunda-feira após Pentecostes

Na segunda-feira após o Domingo de Pentecostes, a Igreja celebra a memória da Bem-Aventurada Virgem Maria Mãe da Igreja. O decreto da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos que formaliza essa data, definida pelo Papa Francisco em 2018, afirma:

“Esta celebração ajudará a recordar que a vida cristã, para crescer, deve ser ancorada no mistério da Cruz, na oblação de Cristo no convite eucarístico e na Virgem oferente, Mãe do Redentor e dos redimidos”.

A referência bíblica para esta memória é esta passagem do Evangelho de São João:

“Junto à cruz de Jesus estavam de pé sua mãe, a irmã de sua mãe, Maria, mulher de Cléofas, e Maria Madalena. Quando Jesus viu sua mãe e perto dela o discípulo que amava, disse à sua mãe: ‘Mulher, eis aí teu filho’. Depois disse ao discípulo: ‘Eis aí tua mãe’” (Jo 19,25-27).

A partir desse texto, o decreto destaca que Maria aceitou o testamento de amor do Seu Filho e acolheu todos os homens, personificados no discípulo amado, como filhos a serem regenerados para a vida divina. Ela se tornou, assim, a amorosa Mãe da Igreja que Cristo gerou na cruz e à qual deu o Espírito. Por sua vez, no discípulo amado, Cristo elegeu todos os discípulos como herdeiros do Seu amor por Sua Mãe, a quem confiou todos eles para que a acolhessem com amor filial. Como guia dedicada da Igreja nascente, Maria iniciou a sua própria missão materna já no cenáculo, rezando com os Apóstolos na expectativa da vinda do Espírito Santo.

A piedade cristã, recorda ainda o decreto, honrou Maria com títulos de certo modo equivalentes, como Mãe dos discípulos, dos fiéis, dos crentes, de todos aqueles que renascem em Cristo, e também “Mãe da Igreja”, conforme aparece nos textos dos autores espirituais e do magistério pontifício.

Além disso, em 1º de janeiro de cada ano, também celebramos Maria como Mãe de Deus.

A bela oração que São João Paulo II deixou às famílias

POPE JOHN PAUL II

Fair Use

Todos nós conhecemos o amor profundo que São João Paulo II tinha pela Virgem Maria. Essa devoção pessoal foi um dos segredos do seu pontificado. O centésimo aniversário de seu nascimento é em maio, mês consagrado à Mãe de Deus e, por essa ocasião, somos chamados a fazer nossa a oração que o santo adereçava a todas as famílias

Desde a infância e até os seus últimos dias, São João Paulo II estabeleceu um relacionamento especial com a Virgem Maria. A Mãe de Deus, de fato, desempenhou um grande papel na vida de Karol, durante a sua vida sacerdotal e também em sua vida como cardeal.

Após ser eleito Papa, ele decidiu colocar seu pontificado sob a proteção da Mãe de Deus. “A essa hora, não podemos deixar de voltar nosso espírito à Virgem Maria, que ainda vive e age, como Mãe, no mistério de Cristo. Devemos repetir as seguintes palavras: Totus Tuus, inteiramente teu!”, ele proclamou na Praça de São Pedro, em Roma, no dia de sua entronização, em 16 de outubro de 1978.

Em 13 de maio de 1981, o papa foi milagrosamente salvo após um atentado. São João Paulo II atribuiu esse milagre à Virgem de Fátima. Durante sua vida, ele compôs muitas orações à Mãe de Deus, incluindo esta, que as famílias podem adotar para a oração da noite, durante o mês de maio (e mesmo depois):

Virgem Maria, Mãe da Igreja, sede também a Mãe de nossas famílias.

Que graças à sua ajuda materna, toda família cristã

possa realmente se tornar uma “pequena Igreja”,

na qual o mistério da Igreja de Cristo é refletido e revivido!

Vós que és a serva do Senhor, sede para nós exemplo

de humilde e generosa acolhida da vontade de Deus!

Vós que sofrestes a dor da Mãe aos pés da Cruz, fiques conosco para aliviar os sofrimentos

e enxugar as lágrimas dos afligidos pelas dificuldades de suas famílias!

Que Cristo, o Senhor, rei do universo, rei das famílias,

esteja presente, como em Caná, em todo lar cristão,

comunicando luz, alegria, serenidade e força.

Que toda família saiba dar generosamente

sua contribuição para o advento do Reino de Deus no mundo.

A Cristo e a vós, Maria, confiamos nossas famílias.

Amém

Anna Ashkova

Como colocar-se efetivamente na presença de Deus durante o Terço

ROSARY

Fred de Noyelle | Godong

Quanto mais estivermos perto de Maria, mais ela nos levará a seu Filho

Quando pensamos no Terço, geralmente vem em nossa mente a ideia de que essa é uma oração dirigida à Virgem Maria. É verdade! Mas estamos falando, de fato, de uma oração a Jesus, através de Maria. O objetivo final é sempre ter um relacionamento com Jesus, embora grande parte da ênfase esteja em sua mãe, Maria. Como muitos santos disseram ao longo dos séculos, quanto mais estivermos perto de Maria, mais ela nos levará a seu Filho.

Um exercício de meditação que pode ajudar nessa aproximação é lembrar-se da presença de Jesus enquanto você reza o Terço.

O Pe. John Procter ensina como fazer:

“Quando rezamos nosso Terço no espírito de fé, estamos na presença de Jesus Cristo, não tocando a bainha de suas vestes, não nos deliciando com a sombra de seus apóstolos, mas falando com ele, pensando nele, ouvindo-o, aprendendo dele, amando-o e sendo amados por ele em troca (…)Como pensar nele e falar com ele, como fazemos ao rezar nossas contas, sem nos tornarmos melhores e mais sagrados com esse contato espiritual?”

A passagem acima não é o que normalmente imaginamos quando rezamos o Terço, mas tem muita verdade por trás. Por exemplo, ao rezarmos o Terço costumamos refletir sobre vários “mistérios” da vida de Jesus Cristo. Esses episódios são tirados diretamente dos Evangelhos e nos envolvem nos altos e baixos do ministério de Jesus na Terra.

É por isso que tantos cristãos usam o Terço para aprofundar seu amor a Jesus Cristo, refletindo sobre os muitos acontecimentos de sua vida.

Do céu, ela continua intercedendo por nós

MOTHER MARY

Anett Horvath | Shutterstock

Por que nós, fiéis, rendemos louvores Maria, principalmente em maio, o mês a ela dedicado

Continuar a ler